Link to Catedrais Medievais

Posted: 13 Nov 2012 09:30 PM PST
Catedral de Bamberg, Alemanha
Catedral de Bamberg, Alemanha

A Idade Média foi época de profundo movimento intelectual.

Gigantes do espírito como São Gregório VII e os cluniacenses pugnavam para alcançar os mais elevados fins.

Na contenda entre a Igreja e o Estado cada qual se preocupava pelas questões mais transcendentes.

Ainda que não possuíssemos nenhuma obra histórica que nos falasse da vida intelectual daquela época, os edifícios nos falariam dela, como letras impressas na vida dos povos.

Bologna, Itália
Bologna, Itália
Apesar de todas as lutas, apesar de todas as calamidades que dizimaram a população por fenômenos naturais, penúrias e doenças, de tal sorte que freqüentemente os cemitérios não bastavam; apesar de toda a perda de forças humanas e de capitais que as Cruzadas levaram ao Oriente; edificou-se muito, belo e original.

O estilo românico atingiu sua perfeição e o gótico ou normando, começa seu esplendor.

Na arte venceu a idéia cristã.

Entre os sálios floresceu o estilo românico, principalmente junto ao Reno (catedrais de Espira, Mogúncia e Worms); através de Guilherme, o Conquistador, o gótico floresceu na Normandia e na Inglaterra e dali logo estendeu-se sobre a maior parte da Europa.

Abadia de Maulbronn, Alemanha
Abadia de Maulbronn, Alemanha
Se o arco românico permite apenas uma altura limitada, o arco ogival adapta-se para os prédios mais poderosos e ousados.

Por mais alta e pesada que seja a abóboda, parece, não obstante, leve e altiva; as esbeltas colunas crescem e elevam-se da terra e entrelaçam-se em cima, naturalmente, numa espécie de teto de folhagem de um bosque de pedra.

Toda a construção, que tomou a forma da cruz da basílica, está penetrada de simbolismo mais profundo: a águia é a imagem da alma que se eleva até Deus; o cervo, da alma que tem sede da verdade; a rosa sobre o pórtico é o símbolo do silêncio e significa que neste sagrado recinto há de emudecer tudo que for mundano; pelas altas janelas a luz não penetra a não ser filtrada, pois aqui brilha outra luz que não é a do sol material.

Os monstros, utilizados na parte externa como calhas, lembram-nos de que até o mal há de servir o bem...

Abadia do Monte Saint-Michel, França
Abadia do Monte Saint-Michel, França
Os espaços são amplos, as ondas de povo vão e vêm; aqui se batiza, ali ministra-se a Comunhão, nas capelas laterais praticam-se isoladas devoções.

Imagem da Religião, o edifício aspira a abarcar todo o mundo.



(Autor: João Batista Weiss, “História Universal”, Versión de la 5ª. Edición alemana, Aviño 20, Barcelona, t. V, Pp. 179 a

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Carroças com tração animal!

primeira peregrinação pela ferrovia do Contestado