Rffsa !

C. E. F. São Paulo-Rio Grande (1910-1930)
Rede de Viação Paraná-Santa Catarina (1930-1975)
RFFSA (1975-1996)
ABPF (2003-2011)
PIRATUBA
Município de Piratuba, SC
Linha Itararé-Uruguai - km 858,429 (1936) SC-0491
  Inauguração: 29.10.1910
Uso atual: sede e estação da ABPF sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1909
HISTORICO DA LINHA: A linha Itararé-Uruguai, a linha-tronco da RVPSC, teve a sua construção iniciada em 1896 e o seu primeiro trecho aberto em 1900, entre Piraí do Sul e Rebouças, entroncando-se em Ponta Grossa com a E. F. Paraná. Em 1909 já se entroncava em Itararé, seu quilômetro zero, em São Paulo, com o ramal de Itararé, da Sorocabana. Ao sul, atingiu União da Vitória em 1905 e Marcelino Ramos, no Rio Grande do Sul, divisa com Santa Catarina, em 1910. Trens de passageiros, inclusive o famoso Trem Internacional São Paulo-Montevideo, este entre 1943 e 1954, passaram anos por sua linha. Os últimos trens de passageiros, já trens mistos, passaram na região de Ponta Grossa em 1983. Em 1994, o trecho Itararé-Jaguariaíva foi erradicado. Em 1995, o trecho Engenheiro Gutierrez-Porto União também o foi. O trecho Porto União-Marcelino Ramos somente é utilizado hoje eventualmente por trens turísticos de periodicidade irregular e trens de capina da ALL. O trecho Jaguariaíva-Eng. Gutierrez ainda tem movimento de cargueiros da ALL.
HISTÓRICO DA ESTAÇÃO: O povoado começou a se instalar em 1908, no aguardo dos trilhos, que chegaram em 1910, juntamente com a inauguração da estação com o nome de Rio do Peixe, que era, aliás, o nome de outro povoado rio abaixo, que deu origem a Joaçaba. Rio do Peixe conservou o nome e tornou-se distrito em 1923. Em 1949, tornou-se município com o nome de Piratuba, nome que havia adotado seis anos antes. A estação atual de alvenaria

ACIMA: No pátio de Piratuba, um pouco à frente da estação, sentido rio Uruguai, o trem turístico da ABPF revive os tempos de glória da ferrovia, quando o trem da RVPSC passava por aqui diversas vezes por dia. À frente, uma locomotiva diesel da ALL, provavelmente estacionada ali por causa da capina química (Foto Nilson Rodrigues, abril de 2007).
substituiu o belo edifício de madeira de dois pavimentos que ali existia, este ficando 100 metros acima da atual. Quando? Não sei. "Ontem iniciaram-se as operações turísticas entre Piratuba e Marcelino Ramos. Acompanhamos o trem e fizemos algumas fotos. O trecho e simplesmente magnífico, e a travessia da ponte algo muito emocionante. A ponte é simplesmente majestosa, e merece ser vista. Além disso, Piratuba é um balneário muito gostoso" (Nilson Rodrigues, 25/10/2003). Dali até a ponte são cerca de 25 quilômetros. A estação vinha servindo como moradia, sendo, a partir de 2003, repartida com a ABPF para a partida dos trens. A partir de 2007, passou a ser inteiramente utilizada pela ABPF.
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local, 2004; Nilson Rodrigues, 2003; ABPF; Relatórios oficiais da RVPSC, 1920-1960; RVPSC - Horário dos Trens de Passageiros e Cargas, 1936; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)

Estação de Rio do Peixe, sem data. Foto cedida por Nilson Rodrigues

A estação em 10/2003 durante a passagem do trem turístico nesse mês, dali a Marcelino Ramos. Foto Nilson Rodrigues

A estação em 10/2003 durante a passagem do trem turístico nesse mês, dali a Marcelino Ramos. Foto Nilson Rodrigues

A estação em 10/2007. Foto Nilson Rodrigues

A estação em 10/2007. Foto Nilson Rodrigues

Interior da estação em 10/2007. Foto Nilson Rodrigues

A estação em 10/2007. Foto Nilson Rodrigues
 







Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Carroças com tração animal!

primeira peregrinação pela ferrovia do Contestado

Os castelos brasileiros!