Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2011

Roda dágua!

Carroças com tração animal!

Imagem
Carroça de madeira usada, raridade !!! madeira de demolicao .com










Estas carroças são peças decorativas, produzidas com diversicadas madeira de lei, fabricadas a aprox nos anos de 1920 no interior do PR. Seu uso era baseado na realidade da epoca, como transporte de colheitas e cereais. Com tração animal, as carroças de madeira tem 4 rodas, sendo todas de ferro com parte interna em madeira, dianteira com 0,70m diametro e traseira com 1,00m, altura total 1,10m, comprimento 2,50 e largura 1,40, sistema de freio por alavanca. Das que possuimos uma esta com tinta e a outra natural.
Um pouco de história:
As chamadas carroças como estas que estão sendo oferecidas, eram na epoca chamadas de  ”carro de milho”, um tipo de transporte e medida muito usada, e uma carro de milho equivalia a 40, 44 ou 50 jacás,também conhecidos por balaios, dependendo em ambos os casos de cada região o carro de milho equivale, normalmente, a 50 jacás. O jacá de milho, unidade de uma carrada, pega duas mãos;…

O Monjolo de socar arroz!

Atafona!

Imagem
MOLIN = ATAFONA I


A partir desta edission vou relatar com texto e fotos a história das atafonas que existiram e existe nela nostra Venessia. São poucas atafonas que funcionam hoje em Nova Veneza, não chega a 15% do total que tinha, mas algumas ainda resistem ao tempo e a modernidade. Molin, em dialeto vêneto, nesta primeira edição vamos conhecer a atafona (foto) do seu Ercilio Damiani, que esta na localidade de Rio Guarapari. Seu Hercilio há mais de três décadas está ativo com sua tafona que funciona junto ao paiol que abriga também uma serraria pica-pau e um descasdor. Damiani, adquiriu el molin do senhor Laudelino Gava (1926-1999), mais conhecido por Lau, que por sinal é o meu falecido pai. Lau comprou as pedras da atafona em Azambuja-Pedras Grande, de la que vinham as pedras, porque lá estavam os artesãos de pedras e pela abundância do granito de ótima qualidade. A atafona do seu Lau funcionou por poucos anos na rua dos imigrantes, local hoje esta a loja Veneza materi…

Lages SC Taipas!

Imagem

Rffsa !

Imagem
C. E. F. São Paulo-Rio Grande (1910-1930)
Rede de Viação Paraná-Santa Catarina (1930-1975)
RFFSA (1975-1996)
ABPF (2003-2011)PIRATUBA
Município de Piratuba, SCLinha Itararé-Uruguai - km 858,429 (1936)SC-0491Inauguração: 29.10.1910Uso atual: sede e estação da ABPFsem trilhos Data de construção do prédio atual: 1909 HISTORICO DA LINHA: A linha Itararé-Uruguai, a linha-tronco da RVPSC, teve a sua construção iniciada em 1896 e o seu primeiro trecho aberto em 1900, entre Piraí do Sul e Rebouças, entroncando-se em Ponta Grossa com a E. F. Paraná. Em 1909 já se entroncava em Itararé, seu quilômetro zero, em São Paulo, com o ramal de Itararé, da Sorocabana. Ao sul, atingiu União da Vitória em 1905 e Marcelino Ramos, no Rio Grande do Sul, divisa com Santa Catarina, em 1910. Trens de passageiros, inclusive …

As histórias sobre Alfredo Wagner são bastante curiosas

Imagem
Alfredo Wagner


Turismo

As histórias sobre Alfredo Wagner são bastante curiosas. No início da década de 1990, professores da Universidade Federal de Santa Catarina descobriram ali fósseis de mesossauro, um réptil que viveu há 220.000.000 de anos. E a terra, marcada pela neve, tem um candidato a santo: o Soldadinho, que morreu em 1893, quando fugia, junto com um grupo de soldados, de possíveis vinganças da Revolução Federalista. Doente, ele se perdeu do grupo e foi encontrado dias mais tarde, congelado. O túmulo, construído no local, é muito visitado e os moradores mais antigos acreditam que o Soldadinho faz milagres...

Alfredo Wagner SC !

Imagem
Alfredo Wagner


História

As primeiras tentativas de colonização de Alfredo Wagner foram feitas por 19 soldados, nas proximidades do Morro do Trombudo. A empreitada, porém, não teve êxito devido à neve abundante e às chuvas que por três anos assolaram a região. Augusto Lima, em 1893, estabeleceu-se na barra dos rios Adaga e Caeté, acompanhado de alguns colonos. O local passou a se chamar Barracão – o primeiro nome de Alfredo Wagner. O nome atual é uma homenagem a um dos homens que mais trabalhou pela emancipação político-administrativa do município, desmembrado de Bom Retiro.